Boletim Informativo

Cadastre seu e-mail abaixo e receba nossos informativos:

» » » » Motivação e desmotivação no trabalho

Por Leonardo Marioto



Todos nós necessitamos de organizações seja para atingir nossos objetivos pessoais ou para adquirimos produtos e serviços dos mais variados setores. Um importante aspecto da organização para que ela flua e siga em frente com seus objetivos organizacionais é a motivação de seu capital humano e o desenvolvimento de seus capitais intelectuais. Portanto para que uma organização se desenvolva e ‘’ande para frente’’ é essencialmente necessário manter uma motivação constante de seus funcionários, mantendo uma constante evolução. Entretanto algumas corporações acabam por sucumbir diante destes aspectos motivacionais e acabam por deixar seus participantes em uma completa desmotivação, seja para atividades rotineiras, ou para novas atividades. 
Muitas empresas pecam no quesito motivação de seus funcionários e acabam pagando um preço caro por isto. A motivação do ser humano está intimamente relacionada com os gostos de cada um, mantendo uma distinção de cada ser. Cada pessoa gosta de fazer atividades distintas que se diferem de pessoa para pessoa, por isto uma atividade organizacional pode ser uma fonte de motivação para alguém e por outro lado, pode ser uma fonte de desmotivação para outrem. Por este motivo é necessário uma compreensão mútua entre as atividades da organização e a compreensão de quais atividades lhe faz se sentir mais realizado.
Primeiramente se faz necessário o compreendimento de sua própria motivação, ou seja, o que lhe faz-te sentir vivo e agradável com as atividades que você faz. É necessário o autoconhecimento de cada um para ir se descobrindo em suas realizações. É necessário adquirir este conhecimento de si mesmo para saber o que te faz se sentir motivado e o que não é de seu interesse. Por isto se faz necessário procurar empresas e cargos que tenham a ver com o seu perfil profissional, é preciso ter foco em seus projetos, pois assim, você irá adquirindo sua própria motivação. Por outro lado temos a responsabilidade da empresa, mais particularmente, do líder de cada organização. É indispensável o conhecimento do comportamento humano para quem deseja se tornar um líder, pois com este conhecimento em mãos, os atuantes de cargos superiores conseguem captar o que motiva cada um. Não é em um passe de mágica que o líder irá descobrir o que cada um gosta de fazer, mas um estudo elaborado de cada ser é imprescindível para a compreensão da motivação. A responsabilidade do líder é a de encarregar-se de ter um estudo apurado do perfil de seus liderados para saber colocar cada pessoa no lugar certo.
No antagonismo de motivação temos a desmotivação no trabalho, principalmente representada pela apatia do participante perante as atividades diárias. Mas o que leva a desmotivação? Essa pergunta é passível de várias respostas, entretanto vou respondê-la com o meu conhecimento sobre o assunto. Vários fatores determinam a desmotivação no exercício da função. Um dos principais fatores é a falta de compatibilidade entre emprego e cargo exercido, pois se lembra de que no começo do artigo foi dito que a motivação está relacionada com coisas que você gosta de fazer? Por isto um dos principais fatores é este, a falta de conexão e simpatia pela função que está sendo exercida.  Outro aspecto importante é a falta de trabalho que as vezes impera nas organizações deixando o tempo ocioso e criando um clima organizacional de acomodação e os participantes que ali estão são contaminados por este clima de ociosidade e perdem totalmente a motivação para exercer as tarefas que vão surgimento em alguns momentos, mas por que? Pois eles estão tão acostumados a não fazer quase nada que este acomodamento se torna regra, e é difícil de quebrá-la. Estes dois fatores são de responsabilidades da empresa e do líder da organização, entretanto temos a falta de motivação sob-responsabilidade do empregado, que não vai muito do contra do que já foi dito. Existe também a falta de compatibilidade com a função exercida, entretanto, esta pode ser resolvida pelo autoconhecimento de si resgatando as coisas que você gosta de fazer, e se houver tempo ocioso no trabalho, é sempre bom buscar outras maneiras de se entreter e de trabalhar, procurando novas atividades que te satisfaçam.
Em minha concepção o essencial é manter o foco nas coisas que você se interessa, como por exemplo, ler, escrever, assistir filmes, sair com os amigos, realizar tarefas que lhe agradam, porém nem todas irão te agradar, mas isto é imprescindível. Não podemos ter tudo que queremos. Mas o foco é essencial para chegarmos aos lugares que desejamos e almejamos. Por isto aproveite pra conhecer melhor a si mesmo, para descobrir as suas motivações e assim ter uma vida mais aproveitável e feliz.
Mais artigos do mesmo autor disponível em: www.leonardomarioto.com

Postador Leonardo Marioto

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta

Primeiramente obrigado por acessar o Portal Gestão de Pessoas, e por participar deixando seu comentário ou pergunta.

Caso seja necessário estaremos moderando e respondendo seu comentário e/ou pergunta. Seja cordial no que escrever e veja se sua dúvida já não foi questionada e respondida em outros comentários ou artigos no site.

Agradecemos sua visita e volte sempre!

Vanderlei Moraes
Administrador do Portal