Boletim Informativo

Cadastre seu e-mail abaixo e receba nossos informativos:

» » » » » Pesquisa revela as mais memoráveis desculpas por atraso no trabalho

SÃO PAULO – Esqueçam o tio que está doente ou a avó que supostamente morreu. Essas justificativas são de uma criatividade pífia se comparadas com as mais memoráveis desculpas que empregadores norte-americanos receberam de seus funcionários que chegaram atrasados ao trabalho (veja lista abaixo).

Tais motivos foram revelados em uma pesquisa realizada pelo site de recrutamento CareerBuilder entre novembro e dezembro do ano passado com 3.008 empregados e 2.201 gestores e profissionais de recursos humanos.

Segundo o levantamento, os maus cumpridores de horário tendem a se dar mal. Um a cada três (35%) empregadores já demitiu um funcionário por atraso, e 48% deles esperam que os empregados cheguem no horário todos os dias – 34% não se importam com atrasos ocasionais, desde que a prática não se torne um hábito.

O trânsito é o principal vilão das ocorrências (39%), seguido de noite mal dormida (19%), problemas com o transporte público (8%), condições meteorológicas desfavoráveis (7%) e levar os filhos à escola ou à creche (6%).

Entre os argumentos, aparecem como os mais insólitos:

O empregado alegou que uma zebra que vinha correndo pela estrada bloqueou o tráfego (confirmou-se que era verdade);

O empregado disse ter acordado em um gramado a duas quadras de sua casa;
Ficou preso no banheiro;

Não podia tomar café da manhã porque ficou sem leite e cereal em casa e teve de comprá-los antes de ir para o trabalho;

Chegou atrasado por ter pegado no sono no carro enquanto ia para o escritório;
Acidentalmente colocou cola no olho em vez da solução para as lentes de contato e precisou ir ao hospital;

Pensou que o Halloween era feriado;

Um buraco no telhado fez com que a chuva caísse sobre o despertador, que por isso não funcionou;

Estava assistindo a um programa na TV e não quis perder o seu final;

Esqueceu-se de que a empresa havia mudado de endereço;

Uma escova ficou presa em seu cabelo;

Ficou assustado com um pesadelo.

(Edson Valente | Valor)
© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. .

Postador Vanderlei Moraes

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta

Primeiramente obrigado por acessar o Portal Gestão de Pessoas, e por participar deixando seu comentário ou pergunta.

Caso seja necessário estaremos moderando e respondendo seu comentário e/ou pergunta. Seja cordial no que escrever e veja se sua dúvida já não foi questionada e respondida em outros comentários ou artigos no site.

Agradecemos sua visita e volte sempre!

Vanderlei Moraes
Administrador do Portal